Curtir!

quinta-feira, 11 de fevereiro de 2010

Denuncie os crimes cometidos na Internet

Ameaças pela internet afetam 33% dos jovens

Levantamento feito no segundo semestre do ano passado com 2.159 estudantes brasileiros entre 10 e 17 anos mostra que ofensas e agressões no universo virtual estão cada vez mais comuns

Gustavo Werneck
Publicação: 11/02/2010 08:24 Atualização: 11/02/2010 08:27

A universitária Brenda (nome fictício), 17 anos, moradora de Belo Horizonte, nunca imaginou que a sua vida fosse se transformar ao simples toque de um mouse. No início do ano, ao ver na tela do computador foto e uma série de fofocas a seu respeito, a jovem ficou horrorizada e chorou de raiva. "É impressionante como alguém cria comunidades no Orkut e outras redes sociais inventando mentiras. Fiquei muito triste, pois as demais pessoas podem formar uma imagem errada a nosso respeito e agir com preconceito antes mesmo de nos conhecerem. Falam de tudo na internet, que a pessoa é gorda, chata, feia, gay e por aí vai", lamenta a garota.

Nesse universo virtual com espaço de sobra para deboche, calúnias e invenções, principalmente entre adolescentes, Brenda não está sozinha. No Brasil, 33% dos adolescentes admitem ter um amigo que já foi vítima de cyberbullying, caracterizado por atitudes agressivas, intencionais e repetitivas no universo virtual, vindas de uma pessoa ou de um grupo. O dado consta em pesquisa divulgada ontem, Dia Mundial da Internet Segura, pela organização não governamental de defesa dos direitos humanos na internet, SaferNet Brasil, com sede em Salvador (BA).

O levantamento foi feito entre 2.159 alunos na faixa etária de 10 a 17 anos e incluiu 732 educadores do país. Um dos dados que chamam a atenção no estudo, realizado no segundo semestre do ano passado, é a prática do cyberbullying ou intimidação virtual, considerado um dos maiores riscos para os jovens brasileiros conectados à rede. Os educadores dizem que 26% deles já souberam de casos envolvendo a prática entre os alunos de sua escola; 99% consideram que a instituição de ensino tem compromisso com a discussão das medidas de segurança online; e 67% acreditam que o tema merece trabalhos urgentes de orientação.

Segundo os coordenadores da pesquisa, o objetivo do trabalho foi conhecer as principais vulnerabilidades do público da internet e o significado para as crianças e jovens e seus educadores de segurança na internet. "É preciso que todos, em especial os adolescentes, entendam que cyberbullying não é brincadeira. A prática pode começar de forma simples, mas, com o tempo, pode ganhar proporções e agressividade até chegar à Justiça. No caso de adolescentes, os pais terão que responder civilmente. Se a prática partir de pessoas maiores de idade, a atitude configura calúnia e difamação", diz o diretor de Prevenção da SaferNet Brasil, Rodrigo Nejm.

***

Reitero minha posição: crimes na internet devem sempre ser denunciados. A grande maioria dos ofendidos nada fazem para ver a ofensa publica na internet ser apagada e o autor punido. Pelo menos em Brasília, há uma delegacia especializada em crimes de internet. E em qualquer lugar do mundo é muito fácil localizar a identificar os autores das ofensas. No caso do ofendido ser menor de idade, os pais ou responsáveis poderão agir para ver a lei cumprida.

Nenhum comentário:

Postar um comentário